Home / Higiene Bucal com Aparelho Ortodôntico / Como Higienizar a Boca Usando Aparelho Fixo? Parte IV: Enxaguatórios Bucais

Como Higienizar a Boca Usando Aparelho Fixo? Parte IV: Enxaguatórios Bucais

enxaguante bucal

Para quem ainda não leu os outros posts da série “Como Higienizar a Boca Usando Aparelho Fixo?” vale a pena conferir as dicas. Hoje, vou falar sobre os antisépticos bucais conhecidos também como enxaguatórios bucais ou enxaguantes bucais. O tema na literatura científica ainda é controversa mas o que posso afirmar hoje é que:

Os enxaguantes bucais de nada servem para higienização durante o tratamento ortodôntico! Como assim Bial?

O uso indiscriminado dos enxaguantes bucais pode causar doenças como erosão do esmalte devido ao baixo ph de algumas marcas destas soluções como comprovado em alguns estudos, também podem levar ao manchamento dentário se utilizado por um longo período. Existem estudos que relacionam os enxaguatórios bucais com álcool na composição, chegam a 26% de concentração,  podem ser responsáveis por aumentar o risco de câncer na boca. Não é à toa que os enxaguatórios tem sua venda controlada em alguns países, ao contrário do Brasil cujos antisépticos bucais são livremente vendidos em farmácias, supermercados, drogarias e outros estabelecimentos comerciais ficando facilmente disponíveis para crianças e adultos!

Repito e afirmo que a higienização bem feita durante o tratamento ortodôntico deve ser realizada com escova de dentes, fio dental,  limpador de língua e escova interdental para alguns. Esses são os apetrechos do Kit Higiene que indico para meu paciente.

enxaguatorio bucal

E para quem não utiliza aparelho fixo?! As indicações são praticamente as mesmas, somente a escova interdental não é mais necessária a não ser que você tenha uma prótese fixa ou implante na boca!

Não estou menosprezando os anti-sépticos bucais nem tirando a importância devida, afinal eles tem o seu papel de manutenção da saúde bucal nos mais diversos tratamentos odontológicos como cito alguns:

  • antes do atendimento odontológico
  • após cirurgia extração dos dentes durante a cicatrização.
  • após cirurgias periodontais (das gengivas) ou no tratamento periodontal de suporte
  • durante a cicatrização pós cirurgia de implantes
  • dificuldade motora
Todas estas situações tem o controle do profissional odontólogo, afinal são substâncias antisépticas e o seu uso indiscriminado ou ingestão acidental por uma criança pode causar efeitos colaterais graves. Portanto, antes de sair comprando um antiséptico que promete ser melhor do que a escova e o fio dental, consulte seu dentista!

Fonte:

  • Cavalcanti AL, Ramos IA, Leite RB, da Costa Oliveira M, de Melo Menezes K, Fernandes LV, de Castro RD, Vieira FF. Endogenous pH, Titratable Acidity and Total Soluble Solid Content of Mouthwashes Available in the Brazilian Market. Eur J Dent. 2010 Apr;4(2):156-9
  • Perdok JF, van der Mei HC, Busscher HJ.Physicochemical properties of commercially available mouthrinses. J Dent. 1990 Jun; 18(3):147-50.
  • Guggenheim B, Meier A. In vitro effect of chlorhexidine mouth rinses on polyspecies biofilms. Schweiz Monatsschr Zahnmed. 2011;121(5):432-41.
  • Escribano M, Herrera D, Morante S, Teughels W, Quirynen M, Sanz M. Efficacy of a low-concentration chlorhexidine mouth rinse in non-compliant periodontitis patients attending a supportive periodontal care programme: a randomized clinical trial. J Clin Periodontol. 2010 Mar;37(3):266-75. Epub 2010 Jan 19.
 

One comment

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *