Home / DTM e Dor Orofacial / DTM ou Disfunção Temporomandibular: Declaração Da Associação Americana De Pesquisa Odontológica

DTM ou Disfunção Temporomandibular: Declaração Da Associação Americana De Pesquisa Odontológica

dtmRecebi um artigo sobre DTM da Dra. Juliana Stuginski conhecida no Twitter como @dororofacial do Blog julianadentista.com um artigo muito bom da AADR (American Association for Dental Research), uma conceituada associação fundada em 1957, cujos objetivos são o avanço na pesquisa e conhecimento da saúde bucal, assim como dar suporte e ajuda às comunidades de pesquisa em saúde bucal e facilitar a comunicação, e a aplicação dos resultados destas pesquisas.Este artigo foi traduzido pelo colega José Luis Peixoto Filho, e foi enviada de modo que todos pudessem ter acesso e divulgassem esta informação. O artigo original encontra-se aqui no Link. E a tradução vou postar aqui no Blog.

Declaração de revisão política da Associação Americana de Pesquisa Odontológica (AADR) sobre Disfunção Temporomandibular (DTM).

Aprovada no Conselho da instituição em 3/3/2010.

A Associação Americana de Pesquisa Odontológica (AADR) reconhece que as Disfunções Temporomandibulares (DTM) englobam um grupo de condições musculoesqueléticas e neuromusculares envolvendo as articulações temporomandibulares (ATM), os músculos mastigatórios, e todos os tecidos associados. Os sinais e sintomas associados com essas disfunções são diversos, e podem incluir dificuldade em mastigar, falar, ou em outras funções orofaciais. Estão frequentemente associadas com dor aguda ou persistente, e o paciente também pode sofrer de outras desordens dolorosas (comorbidades). As formas crônicas das DTM dolorosas podem acarretar afastamento ou incapacidade no trabalho ou em atividades sociais, resultando em diminuição da qualidade de vida de forma geral.

Baseado em evidências derivadas de pesquisas clínicas bem como estudos experimentais e epidemiológicos:

1) recomenda-se que o diagnóstico diferencial das DTM ou condições dolorosas orofaciais relacionadas deve basear-se primariamente em informações obtidas a partir da entrevista do paciente (anamnese), exame clínico e, quando indicado, exames radiográficos das ATM ou outros procedimentos imageológicos. A escolha de procedimentos diagnósticos adjuvantes deve ser baseada em dados publicados, revisados independentemente (“peer-reviewed”), que demonstrem sua eficácia diagnóstica e segurança. No entanto, o consenso da literatura científica recente sobre dispositivos eletrônicos atualmente disponíveis para o diagnóstico das DTM é que, exceto para várias modalidades imageológicas, nenhum deles demonstra sensibilidade ou especificidade necessárias para se distinguir indivíduos normais de pacientes de DTM ou para distinguir diferentes subgrupos de DTM. Atualmente,procedimentos médicos usuais de diagnóstico ou testes laboratoriais usados para a avaliação de condições similares de natureza ortopédica, reumatológica e neurológica podem também ser usados quando indicados em pacientes de DTM. Adicionalmente, vários testes psicométricos padronizados e validados podem ser usados para a avaliação da dimensão psicossocial de cada paciente de DTM.
disfuncao temporomandibular

2) recomenda-se enfaticamente que, a menos que existam indicações específicas e justificadas para o contrário, o tratamento inicial das DTM deve ser baseado no uso de modalidades terapêuticas conservadoras, reversíveis e baseadas em evidências. Estudos sobre a história natural de muitas DTM sugerem que elas tendem a melhorar ou se resolver com o passar do tempo. Apesar de nenhuma terapia específica ser uniformemente efetiva, muitas das terapias conservadoras provaram ser no mínimo tão efetivas em proporcionar alívio sintomatológico quanto as formas de tratamento invasivas. Pelo fato dessas modalidades terapêuticas não produzirem modificações irreversíveis, elas apresentam muito menos risco de causar malefício. Ao tratamento oferecido pelo profissional deve-se adicionar um programa de cuidados domiciliares em que o paciente é ensinado sobre seu problema e como ele pode controlar os sintomas. Leia também Dores de cabeça? Você pode estar com DTM?

Photo Crédit:

Fonte:

Comente, deixe sua opinião sobre o post “DTM: Declaração da AADR”
Comentários via Facebook

Check Also

Dores de cabeça? Vocêpode estar com DTM!

A OMS pediu mais investimentos para o tratamento das dores de cabeça que afetam até …

3 comments

  1. De acordo com todos os meus estudo na net, rsrs, acho que tenho DTM. E o pior é que meu caso já está avançado. Um dos lados da minha mandíbula já tá alta, tenho muitas dores, não consigo mastigar coisa mais duras, quando tento abrir a boca tenho que destravar estralando. é péssimo, faz mais de um ano que não masco goma, doi muito e piora quando tento fazer isso.
    Será que alguem poderia me ajudar, me encaminhando a uma especialidade ou fazendo algo para diminuir a dor por enquanto que não inicia o tratamento?

    Obrigada

  2. Olá Caroline, pelo que você descreveu, é uma forte candidata a ser paciente de um Especialista em DTM. Este é o profissional que você deve procurar para resolver seu problema. Se você não sabe por onde encontrar, comece procurando seu dentista, aquele que sempre tratou de você! Dentistas conhecem dentistas, e certamente ele fará uma indicação de algum conhecido próximo a você. Lembre-se que prevenir um problema sempre é mais fácil e mais barato do que tratá-lo! Um abraço

  3. Olá! Só hoje vi a publicação deste texto aqui. Obrigada pela divulgação! Abraços

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *